Cada dia os israelitas sacrificavam dois cordeiros, e isso era feito para que os pecados dos israelitas pudessem ser perdoados. E no santuário dos israelitas havia duas repartições: o primeiro tabernáculo aonde qualquer um dos sacerdotes podia entrar, e ali ofereciam muitas ofertas e sacrifícios; e havia o santo dos santos onde era sacrificado o cordeiro do qual acima citei, e lá somente o sumo sacerdote poderia entrar.

Mas este povo escolhido por Deus, não guardou e não cumpriu os estatutos, os juízos e as leis que Deus deu à ele através do seu servo Moisés. E Deus os fazia passar por aflições, então se lembravam dEle e endireitavam o seu caminho, entretanto bastava as coisas melhorarem, voltavam a fazer abominações por não observarem os estatutos, juízos e leis do SENHOR.

Como Deus viu que este era um povo obstinado e de dura cerviz, e por nos amar, decidiu fazer um novo concerto. E através de seus profetas já anunciava sobre a vinda do Messias. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”Jo 3: 16 E Jesus foi levantado como sumo sacerdote, contudo foi diferente dos outros sumo sacerdotes pois nunca cometeu nenhum pecado. “Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime que o céu.” Heb 7.26

E agora em vez de um sumo sacerdote sacrificar um cordeiro, Jesus -o sumo sacerdote- ofereceu a si mesmo -como cordeiro- para a expiação dos pecados de todos aqueles que nele creem! E agora podemos entender as palavras de Jesus: “Está consumado.” Esta acabado; este sacrifício de uma vez por todas nos justificou porque foi perfeito! Logo, para alcançarmos perdão não precisamos subir 50 degraus ajoelhados, nem nos cortarmos, não precisamos matar nenhum cordeiro…

E nem podemos confiar na força do nosso braço, pensando que conseguiremos perdão  pelas nossas boas obras: porque fazemos obras de caridade, e seguimos alguns mandametos e ensinamentos… Porque tão somente alcançaremos perdão se crermos! Para confirmar, vejamos o que está escrito em Rom 4.5 “Mas, àquele que não pratica, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.” Ou seja, se nós crermos naquele que justifica o ímpio (Jesus), a nossa fé nos justifica. Assim como Abraão não foi justificado pelas obras “Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus. Pois que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.” Rom 4.2-3

Portanto, por causa da ofensa de um homem (Adão), entrou a condenação e a morte, e assim também por um só ato de justiça veio a graça, a saber o que Jesus Cristo fez por nós. (Romanos 5.17-18)

Contudo só quero lembrar que não é porque somos salvos pela graça, que podemos pecar sem medida. O que quero dizer é que não é porque Jesus nos justificou na cruz que podemos pecar mais e mais ainda. “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado para que a graça seja mais abundante?” Rom 6.1 É como alguém que poderia pensar assim: Eu vou mentir, eu sei que é errado mentir porque está escrito na bíblia que quem mente é filho do diabo, mas eu vou mentir porque Jesus me perdoa e me justifica perante Deus. E essa pessoa comete muitos pecados mesmo sabendo que não deve; os cometendo, não sendo sem querer, ou porque não sabia que era pecado, mas sobre o pretexto: “Jesus me justifica e me perdoa”. Será que tais pecados serão perdoados mesmo?

Entretanto de uma coisa eu sei: De Deus não se zomba.

 

“De modo nenhum! Nós que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?” Rom 6.2

 

Obs*-Está escrito na bíblia que quem diz que não tem pecado é mentiroso. Mas eu creio que Paulo quis dizer o seguinte: quando nós pecamos e daqui a pouco cometemos o mesmo pecado de novo por causa de alguma fraqueza que tenhamos, então devemos nos esforçar para nos arrepender de coração e tentar morrer para esse pecado, e digamos que ainda não tenhamos conseguido nos arrepender de tal maneira e resbalamos novamente, e de novo nos esforçamos e pedimos a ajuda do Pai, e assim sucessivamente (se for preciso) até que finalmente conseguimos mudar, e morrer totalmente para esse pecado. E de tais pecados somos perdoados e justificados!

O que é muito diferente de ficarmos perpetuando no erro sob o pretexto, Jesus me perdoa e me justifica.

Portanto não somos justificados por seguir os mandamentos, mas devemos seguir os mandamentos e ensinamentos, pois não devemos ficar perpetuando nos erros!! E porque aquele que tem os mandamentos do Pai e de Jesus e os guarda, esse é o que ama a Jesus!(Jo 14.21)

Mas saibam que Jesus compreende as nossas fraquezas, e por isso Paulo diz que podemos chegar com confiança ao trono da graça. (Heb 4.15-16)